Pular para o conteúdo principal

1º Simpósio Internacional de Arte Contemporânea


1º Simpósio Internacional de Arte Contemporânea

Nos dias 15, 16 e 17 aconteceu o "1º Simpósio Internacional de Arte Contemporânea de Campina Grande". O evento contou com a participação de diversos professores e artistas que apresentaram conferências de acordo com a temática. A aula magna contou com a presença de Paulo Sérgio Duarte, Crítico de arte, pesquisador e professor do Centro de Estudos Sociais Aplicados da Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro.

Foto: @lucaslopesweb

As professoras protuguesas Dra. Maria de Fátima Lambert, coordenadora do Núcleo de Estudos de Arte e do Patrimônio da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, participaram com conferências sobre "Curadoria Contemporânea: o Novo Museu" e Dra. Gabriela Pinheiro, diretora do Mestrado em Arte e Design para o Espaço Público da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Portugal, sobre "Arte Contemporânea no Espaço das Cidades".


A Profa. Dra. Lívia Marques - Coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Artes Visuais UFPB/UFPE falou sobre "A necessidade do Estudo da Arte na Contemporaneidade".

Foto: @lucaslopesweb

E a Profa. Dra. Madalena Zaccara - Vice-Coordenadora do mesmo curso, sobre "A evolução da arte na Paraíba". O artista plástico Fred Svendsen foi convidado e falaria sobre "Arte Conceitual e Arte Contemporânea", mas não pode comparecer ao evento.

O crítico de arte paraibano e professor do Centro Universitário de João Pessoa, Dyógenes Chaves, falou sobre "O papel da crítica na arte contemporânea"; o artista plástico e professor do Curso de Pós-Graduação em Artes Visuais UFPB/UFPE, José Rufino, apresentou a conferência sobre "Arte Contemporânea e Memória Política"; Franz Lima, diretor em Arte e Mídia, Publicitário e diretor Executivo da Revista fmq?, falou sobre "O mercado cultural na Paraíba"; o secretário de Cultura do Estado da Paraíba, Chico César, Cantor e Compositor, encerraria o evento com a conferência "Política Artístico-Cultural na Paraíba", mas não pode comparecer por motivos de saúde.

Segundo a curadora do evento “O projeto busca incrementar o movimento das atividades artísticas na cidade de Campina Grande fomentando assim o diálogo, a práxis artística e o desenvolvimento intelectual. É um convite à participação efetiva de artistas e da sociedade, favorecendo as trocas de conhecimento, ao ensino e ao desenvolvimento artístico na região. Para tanto, foram convidados artistas, curadores e críticos de arte brasileiros e portugueses para participarem como conferencistas do simpósio” (Camila Xavier).

Nos dias 18 e 19, ainda acontecem o "1º Festival de Arte" com exposições de artistas paraibanos e pernambucanos e a realização de workshops para crianças e adolescentes. Como ouvinte no evento, posso falar que as conferências foram bem proveitosas e dinâmicas, com algums momentos de discussões bem interessantes. Um ótimo momento para ouvir e falar sobre Arte. O evento como um todo proporcionou o diálogo e a aproximação entre professores e artistas nas conferências e na exposição de obras de alguns artistas que pude acompanhar hoje pela manhã, como Wilson Figueiredo, Fábio de Brito, Saulo Ais, Fred Svendsen entre outros.

Foto: @lucaslopesweb

Aproveitando uma das falas do artista José Rufino que recebeu o troféu Arte e Contemporaneidade no evento, esperamos que o próximo evento conte com a presença de tantos outros artistas paraibanos tão importantes para a Arte de nosso estado e nosso país.

Foto: @lucaslopesweb


Página do evento:

http://www.maquinarama.com.br/artecontemporanea


Por Idália Lins

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…