Pular para o conteúdo principal

Analisando o desenho animado: Bob Esponja


Fonte da imagem: sapo-com.blogspot.com/2007/08/bob-esponja.html

Histórico do desenho

O desenho foi criado por Stephen Hillenburg, formado em ciências e biologia marinha e em desenho artístico. Para compor o seu personagem, ele começou a desenhar esponjas redondas, mas depois descobriu que as esponjas quadradas poderiam ser engraçadas, com calças quadradas e gravata. O personagem criado por ele foi então batizado de "Spongeboy", mas já havia um outro com esse nome, e tiveram que rebatizá-lo como "Spongebob".
No dia 22 abril de 1999, depois do 12th Annual Kid's Choice Awards no canal por assinatura Nickelodeon, Bob Esponja bateu recordes de audiência pela primeira vez no ar com o episódio piloto "Help Wanted/Tea at the Treedome". Mas, oficialmente, dia
dezessete de julho, com o segundo episódio "Bubblestand/Ripped Pants", o desenho cresceu como fenômeno, tornando-se o número um da Nickelodeon.

Descrição do desenho

O desenho é ambientado no coração do Oceano Pacífico, na cidade subterrânea da Fenda
do Bikini, onde vive uma esponja do mar, chamada Bob Esponja. O fundo do mar é ambientado com uma espécie de papel de parede, com florzinhas e um colorido forte que
privilegia os tons de azul e o reflexo que o sol causa na água. Bob vive num abacaxi com seu mascote Gary (um caracol) e trabalha como cozinheiro na lanchonete do Siri Cascudo e também tem habilidades de se meter em todo o tipo de problemas.
Bob Esponja tem um vizinho mau-humorado, Lula Molusco, e se diverte com seus melhores amigos Patrick Estrela (uma estrela-do-mar) e Sandy Bochecha (um esquilo que
vive no fundo do mar usando uma estranha roupa de astronauta). Na Fenda do Bikini,
fazer bolhas é uma arte e o melhor alimento do fundo do mar são os hambúrgueres de siri da lanchonete Siri Cascudo. O passatempo predileto de Bob Esponja e seu amigo Patrick é caçar águas-vivas, e essa brincadeira irrita o seu vizinho, Lula Molusco, que a considera idiota.

Repercussão do desenho entre crianças e adultos

O desenho, apesar de ser acusado por alguns de bobo demais e de não acrescentar
necessariamente elementos inovadores, alcançou um grande sucesso entre o público e os
elementos de nonsense utilizados pelo desenho constituem-se na maior fonte de humor do desenho.
Ele alcançou repercussão tal que um site na Internet proclamou a igreja do Bob Esponja, através da qual você pode encontrar alegria nas pequenas coisas da vida e não tenha medo de dizer isso; uma igreja que oferece complexidade para as coisas complexas esimplicidade para as simples; uma igreja que não quer o seu dinheiro, quer apenas que você seja feliz. Ou seja, o site propõe que adotemos a postura do Bob Esponja como exemplo de vida, como se o personagem fosse uma espécie de messias que devemos seguir. O site mantém um serviço, inclusive, de conversão pela rede.

Referência: Mota, Lívia Maria Cruz. O Desenho Bob Esponja e a Estética do Nonsense. http://reposcom.portcom.intercom.org.br/bitstream/1904/17235/1/R0939-1.pdf.

Comentários

Anônimo disse…
pq vcs naum colocam o dezenho du patrick bilhante para noosa versão de orkut

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…