Pular para o conteúdo principal

arte a céu aberto

Exposição Regina Silveira,2008.
exposição Gil Vicent ,2007.


Galeria cilindro é, pela definição mais apropriada, um meio de massa para difusão e ploriferação de propostas artísticas projetadas para o referido espaço. Ao inserir estas propostas na paisagem urbana e, consequentemente, gerar apelo visual para a população, a Cilindro destitui dos museus e galerias a função exclusivos espaços do circuito de arte. Situada em uma praça pública, na parte externa de um caixa-eletrônico do Banco do Brasil, a instalação é parte do contexto urbano e instrumento político para questionamentos das relações público/artista/obra, como forma de inserção e disponibilidade democrática de eventos nas artes visuais. A Galeria Cilindro torna acessíveis ao público exposições com nomes da arte brasileira, sendo uma das mais raras galerias públicas do país. O formato da galeria torna o espaço ousado e de resistência nas artes visuais, considerando-se que está numa cidade do interior de uma das mais pobres regiões do país e sem nenhum patrocínio, seja privado ou estatal. Nesse enfrentamento quem sai vencendo é a arte de boa qualidade e o público, que vem tendo acesso a uma excelente programação cultural relacionada às artes visuais, mantendo as relações sicioculturais possíveis em um ambiente de dificuldade e falta de oportunidade para acesso à arte contemporânea.
A primeira exposição ocorreu no ano de 2004 com os grupos Coringa e Piratininga, da cidade de São Paulo, que enviaram, via Correios, material para montagem no referido equipamento. Iniciou-se uma das mais positivas ações do circuito da arte nacional. Posteriormente outros artistas convidados enviaram suas propostaspara expor na Galeria, entre eles Gil Vicente(PE), Guto Lacaz(SP), Regina Silveira(RS), José Roberto Aguilar(SP) e Regina Carmona(SP), e Paulo Brusky (PE).
O sucesso da iniciativa é claro: o número de artistas nacionaus com quem se mantém contato para expor na Galeria Cilindro é enorme. Porém, a galeria precisa ampliar suas ações para atender as reivindicações desses artistas que querem se inserir na cena cultural, utilizando-se do espaço para suas intervenções. O lançamento de um edital para preenchimento de um calendário anual de exposições é uma das possibilidades para atender uma demanda frequente de artistas que querem expor; entanto, faz-se necessário formar un conselho curador para propiciar uma articulação maior das propostas a serem selecionadas para a exposição na Galeria Cilindro.

fotos no site:
www.flickr.com/photos/galeriacilindro
(por Julio leite, extraído da revista DASARTES)

cris calaço


Comentários

Autorretrato disse…
Muito interessante... esta com certeza é mais uma forma de democratizar a arte. Até pq muitas pessoas se intimidam de entrar em museus e locais fechados onde acontecem exposições. Assim, todos podem apreciar e que sem sabe tomar gosto pelo admiravel mundo das artes.
Abraços!

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…