Pular para o conteúdo principal

Carta aberta aos educadores

Amigos do Blog

Boa Noite!
Saudades de todos...
Peço que leiam esta carta e percebam que o ensino de artes no Brasil tem muitos atores e instituições que contribuíram e contribuem para a construção de nossa história.

Beijocas paulistanas

Mirca Bonano

No momento em que as colegas do Arte na Escola de Santa Catarina são
constrangidas em seu desejo de realizar o VI Encontro Arte na Escola junto
com o I Encontro Regional da FAEB/Sul e o V Colóquio sobre Ensino da Arte,
vimos nos posicionar como é nosso hábito: de forma clara e transparente.

1. Lamentamos os constrangimentos que nossas colegas de Santa
Catarina estão sofrendo no momento em que tomaram a decisão
autônoma de reunir num mesmo evento estas três realizações. Sempre
foi e continuará sendo nossa postura incentivar a junção com estes ou
outros eventos de arte-educação, no sentido de maximizar esforços e
não causar rupturas num ambiente já fragilizado. Igualmente
procuramos favorecer a ida de arte-educadores aos eventos nacionais
da FAEB e da ANPAP através da compatibilização de agendas. Isso
porque o ARTE NA ESCOLA é uma iniciativa inclusiva do Terceiro Setor,
reunindo arte-educadores das mais diversas linguagens e orientações.

2. O Instituto Arte na Escola, entendendo a Universidade como lócus do
saber, elegeu-a como parceira operadora de seus Programas de
incentivo ao ensino da arte, por meio da formação contínua do
professor do ensino básico. Dessa parceria entre o Instituto Arte na
Escola e as Universidades nasceu a Rede Arte na Escola, presente em
todas as regiões do Brasil, através de 52 Pólos Universitários,
distribuídos em 23 Estados e Distrito Federal, e em 46 cidades
brasileiras.

3. O Arte na Escola vem valorizando o ensino da Arte Brasileira através
de suas múltiplas manifestações, respeitando a diversidade cultural e
estimulando o conhecimento da Arte Contemporânea. O Arte na Escola
trata de construir e disponibilizar materiais educativos levando o
universo da arte para dentro da sala de aula por meio de mídias
diversificadas (imagens fixas e móveis), buscando ampliar a relação da
escola com as artes sobretudo ampliando o repertório cultural e
artístico dos professores de arte.

4. O Arte na Escola não se pauta por uma orientação metodológica única.
Nosso compromisso é com a EDUCAÇÃO BRASILEIRA. Nossas
metodologias são referenciadas nos textos de uma grande variedade de
autores: Ana Mae Barbosa, Analice Pilar Dutra, Anamélia Bueno Buoro,
Arthur Efland, Elliot Eisner, Fernando Hernandez, Giles Deleuze, Heloisa
Ferraz, Irene Tourinho, Lucimar Bello Frange, Mariazinha Fusari,
Michael Parsons, Mirian Celeste Martins e Gisa Picosque, Rejane
Coutinho, Rosa Iavelberg, entre outros; além de vários de nossos
parceiros, eles próprios, respeitados autores como é o caso de Dora
Dutra Bay, Elisabeth Militsky Aguiar, Erinaldo Alves do Nascimento,
Isabel Petry, Maria Helena Rossi, Moema Rebouças, Nadja Lamas,
Raimundo Martins, Sandra Ramalho, Silvia Sell Pillotto, Terezinha Franz,
entre outros.

5. Aceitamos como parâmetros curriculares todos aqueles formulados
tanto pelo MEC, quanto pelas Secretarias de Educação estaduais e
municipais, na medida em que os mesmos estabelecem condições
mínimas para a avaliação do aprendizado. Não acreditamos em discurso
sobre Educação, mas na efetivação de oportunidades para que os
professores possam aprender e portanto ensinar crianças e jovens que
aprendem e desfrutam ARTE. Aprendemos que vale à pena correr riscos
e propor caminhos para apoiar este professor em sala de aula, sempre
com o espírito crítico de quem sabe que as certezas de ontem são o
questionamento de hoje e a inteligência aberta e receptiva de amanhã.

6. Repudiamos qualquer insinuação relativa à gestão do Arte na Escola.
Nosso balanço anual, auditado por auditores independentes, é publicado
no site da Fundação Iochpe, do qual provém a maioria de nossos
recursos. Os critérios de gestão do Arte na Escola são formulados junto
ao Comitê Estratégico da Rede, composto pelos coordenadores de três
pólos de distintas regiões do país. A orientação para o funcionamento
da Rede emana do Instituto Arte na Escola e está disponível na intranet
para todos os seus membros, sendo debatida nos Comitês (Estratégico,
de Publicações, de Vídeo) e nas Assembléias anuais da Rede realizadas
em universidades participantes da mesma.

7. O ARTE NA ESCOLA é um programa de formação continuada de
professores, não se imiscuindo no que diz respeito à formação inicial
dos docentes, de responsabilidade de cada universidade. Orgulhamonos,
no entanto, de que nossos Coordenadores - professores com
elevado espírito público – tem buscado de forma contínua seu próprio
aperfeiçoamento em Mestrados e Doutorados nacionais ou
internacionais e que este movimento tem se feito acompanhar da
criação de novos mestrados e doutorados para os quais a Rede Arte na
Escola é um potente recurso.

8. Somos uma organização da sociedade civil mantida por uma fundação
privada e seus patrocinadores que ao lado de uma centena de outros
atores da sociedade civil vem colocando esforços e recursos e
inteligência para arrancar a educação brasileira dos patamares
vergonhosos em que a mesma se encontra. Há vinte anos praticamos
nossa fé nas parcerias – que no caso do Instituto Arte na Escola se dá
com a universidade e os sistemas públicos de ensino. Nossa atividade
contínua beneficia hoje 12.000 professores presencialmente e 30.000
através dos meios virtuais.

9. Nossa atuação voluntária se pauta no compromisso com o avanço dos
indicadores sociais de nosso país e tem como valores a ética, o respeito
ao saber e as liberdades individuais, mas sobretudo na crença de que
todo brasileiro tem direito e dever à educação de qualidade, ao
desenvolvimento de seus potenciais e ao convívio respeitoso com seus
iguais.

Evelyn Berg Ioschpe
Presidente do Instituto Arte na Escola
Presidente da Fundação Iochpe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…