Pular para o conteúdo principal

"New York Times" elogia obra da brasileira Beatriz Milhazes

via www1.folha.uol.com.br on 10/27/08
da Folha Online

A artista plástica carioca Beatriz Milhazes foi destaque na edição de domingo (26) do jornal "New York Times". Com uma individual em cartaz na galeria James Cohan, em Chelsea, Milhazes "soa como uma rigorosa construtivista enquanto apresenta suas quatro últimas pinturas, expostas nas paredes", diz a reportagem assinada por Carol Kino.
Divulgação
'Detalhe
Detalhe da obra da artista Beatriz Milhazes

"Apesar de Milhazes claramente se considerar uma abstracionista geométrica, essas são dificilmente as primeiras palavras que virão a mente ao observar seu trabalho. As obras geralmente vêm permeadas por linhas e pontos, círculos freqüentemente se transformam em alvos que saltam aos olhos, e tudo é cercado por motivos que evocam a cultura multifacetada de sua cidade-natal, o Rio de Janeiro."

O texto traz ainda um breve histórico sobre a carreira da artista, que parece "tão acumulada quanto suas próprias pinturas", cita a exposição de Beatriz na Pinacoteca do Estado, em São Paulo, a instalação exposta no Museu de Arte Contemporânea de Tóquio e faz análises sobre a arte brasileira.

"Crescendo durante a ditadura militar no Brasil, Milhazes não teve acesso a obras das principais correntes da arte. Apesar de o Brasil ter uma cena artística de vanguarda desde 1930, as oportunidades para jovens artistas no Rio de Janeiro eram limitadas no início dos anos 1980, quando ela iniciou sua carreira", diz o texto.

"Há vinte anos, se você não viajasse, nunca iria ver pinturas", declara Beatriz na reportagem. A artista ainda complementa dizendo que, hoje em dia, a pintura ainda é um tanto obscura na cena artística brasileira.

Pinacoteca

Pela primeira vez no Brasil, depois de já ter realizado obras em espaços públicos como uma estação de metrô em Londres ou na fachada de uma loja de departamento em Manchester, Milhazes criou uma obra de grande porte, ocupando a maior sala da Estação Pinacoteca com uma intervenção nas dez janelas do espaço, que variam ao longo do dia conforme a luminosidade externa.

A mostra, que pode ser vista até 30 de novembro, apresenta ainda 21 pinturas e quatro colagens, realizadas pela artista desde 1990, com curadoria de Ivo Mesquita.

Obra de US$ 1 milhão

Milhazes se tornou a brasileira com maior repercussão no mercado exterior, batendo seu próprio recorde num leilão de arte, quando "O Mágico" (2001) foi arrematado por US$ 1,049 milhão, em maio passado, na Sotheby's de Nova York, pelo colecionador argentino Eduardo Costantini.

Disponível em : http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u460946.shtml

Karlene Braga


Para quem desejar conhecer melhor Beatriz Milhazes, segue uma entrevista com a artista:




Disponível em : http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM896900-7823-OS+SEGREDOS+DA+ARTE+DE+BEATRIZ+MILHAZES,00.html


Karlene Braga

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…