Pular para o conteúdo principal

CASA DE PEDRA EM FAVELA...

Gary Duffy
de São Paulo


Poucos proprietários de imóveis em São Paulo têm tanto orgulho de onde moram quanto Estevão Silva da Conceição, que passou mais de 20 anos construíndo uma casa que é a sua maior paixão.

A "Casa de Pedra" é uma das construções mais originais da cidade, e fica no coração da favela Paraisópolis, no bairro do Morumbi.

É um lugar mágico com arcos salpicados de pedras e paredes cobertas com todo o tipo de objeto - de pratos, xícaras e estátuas a máquinas de escrever e telefones celulares.


Ela foi construída em um terreno de apenas 75 metros quadrados e tem oito metros de altura.

Dentro, uma série de escadas e pequenos corredores levam a um jardim num terraço que tem uma vista impressionante da favela que abriga mais de 70 mil pessoas.

O que parece mais surpreendente é que um homem que nunca ouviu falar do arquiteto catalão Antoni Gaudí (1852 - 1926) tenha construído algo tão próximo do seu estilo.



Com freqüência, sua fachada foi comparada a obras no mundialmente famoso Parque Güell, em Barcelona.

O Parque Güell, em Barcelona, é mundialmente famoso


Estevão, de 50 anos, começou a construir uma casa para morar, e mais tarde ela se tornou um lar também para sua mulher e seus dois filhos.



Só quando um estudante de arquitetura que passava viu a casa há sete anos é que Estevão percebeu a ligação entre o trabalho dele e o de Gaudí.

Desde então, Estevão visitou a Espanha para ver o trabalho do celebrado arquiteto catalão e sua casa em Paraisópolis se tornou um verdadeira atração.





Em meados deste ano, o interior da casa foi mostrado em artigo na edição brasileira da revista Vogue.

O projeto começou sem grandes pretensões. "Eu plantei uma roseira e ela ficou bem grande, e eu construí uma estrutura para a casa de uma forma que permitiria que a roseira crescesse. Eu a substituí por outras roseiras, e nunca parei de plantar e construir", afirmou.

Estevão ficou surpreso quando finalmente teve a oportunidade de ir à Espanha.

"Quando eu cheguei no Parque Güell é que achei que o trabalho era muito parecido com o da minha casa. E eu pensei: Nossa, como eu consegui construir uma coisa tão parecida com o trabalho dele sem nem ver."

A esposa de Estevão, Edilene, disse que está muito orgulhosa do marido. "Eu acho que a casa é muito bonita e diferente e as crianças adoram", disse, acrescentando que não se importa que as pessoas apareçam para visitar.

Estevão fez todo o trabalho sozinho e, depois de 22 anos, disse que ainda tem muito ainda pela frente.

Suas idéias evoluíram ao longo dos anos e o projeto sofreu mudanças.

"Quando eu comecei a construir a casa usando madeira, as pessoas costumavam dizer que parecia uma casa de índio. Aí eu comecei a mudar, e a estutura é feita de ferro."

Ele diz que atualmente todo mundo conhece a "Casa de Pedra", e aparecem até visitantes estrangeiros.

Estevão começou a vida como agricultor na Bahia, aos dez anos. Aos 19, foi para São Paulo, onde trabalhou como auxiliar de pedreiro e jardineiro.

Estevão começou a construir a casa há mais de 20 anos. Hoje ela é o lar também de sua mulher e seus dois filhos. E, apesar do estilo extravagante, a cozinha funciona como qualquer outra.

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/10/071017_casaexotica.shtml (Lm)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…