Pular para o conteúdo principal

Animação em sala de aula com desenhos!

Antes de tudo, é importante mostrar para o alunado como se deu a origem do movimento e os primeiros aparelhos utilizados para criar e registrar o movimento.Como todas as nossas atividades foram baseadas na origem do cinema, começamos a partir do desenho em sequência.

Antes do surgimento das câmeras fotográficas ou de filmagem que tomasse quadro a quadro imagens seqüenciadas, já existiam, desde o século XIX, aparelhos que simulavam movimentos de animação. Um deles é o Taumatroscópio, aparelho colocado à venda em 1825 na França pelo Dr. John Ayrton Paris. Esse aparelho consiste em um círculo amarrado por dois pedaços de barbante, um em cada extremo. Girando o disco, as imagens são sobrepostas e, com a persistência da imagem, acabam se fundindo em uma imagem só.




Coube ao belga Joseph Antonie Plateau, em 1832, construir o primeiro aparelho em que uma seqüência de desenhos dava a impressão de se movimentarem, o Fenaquistroscópio. Tratava-se de dois círculos sobrepostos, um com a seqüência de desenhos e outro acima com orifícios retangulares dispostos regularmente na superfície. Ao girar o conjunto, os desenhos vistos através dos orifícios davam a ilusão de movimento.







Outros aparelhos precursores da animação foram o Zootroscópio e o Praxinoscópio. O Zootroscópio é uma caixa cilíndrica apoiada num eixo e com orifícios retangulares com uma tira de desenhos colocada internamente. O Praxinoscópio é um refinamento do Zootroscópio. Os orifícios são substituídos por um conjunto de espelhos que giram no centro do cilindro, projetando as imagens no estilo de uma lanterna mágica.





Nesta mesma época também eram utilizados os livrinhos mágicos. Lembram aqueles desenhos que fazíamos em papéis, tipo bloquinhos? Em cada folha desenhávamos um desenho diferente seguindo uma sequência do movimento e, logo depois, folheávamos estas folhas com uma certa velocidade e percebíamos o movimento???Pois é!, este bloquinho de papel onde são feitos os desenhos se chama ''FLIP-BOOK''.




A atividade que fizemos, de início, foi a criação do movimento através dos desenhos. Os alunos da Escola Sesquicentenário, do Ensino Médio, criaram um Flip-book (uma pequena parte que não tinha muita intimidade com informática) e uma espécie de flip-book digital, no qual os desenhos eram feitos no programa ''paint', encontrados em qualquer computador que tenha o windows (iniciar>programas>acessórios>Paint). Eles desenhavam digitalmente com o mouse, salvos e editados no Windows Movie Maker (também encontrado em qualquer computador que tenha o Windows) ou manualmente com láspis e caneta (no bloquinho de papel - flip book). Os resultados foram bem diferentes e o tema foi livre!

*Alguns trabalhos feitos no Paint e editados no Windows Movie Maker:




''Tiro ao Alvo'' - Ewerton 1 º Ano



''Voando'' - João David - 1º Ano A





''Pucca'' Kerollayne e Rhayssa Caetano - 1ºano C




''Rotação'' Rafael Santos - 1º B




Marcone - 1º Ano A




*Desenhos produzidos pelos alunos dos 1º anos do ensino médio da escola Centro Estadual Experimental de Ensino-Aprendizagem Sesquicentenário onde atuo como professora de Artes Visuais, com a parceria do assessor Erinaldo Alves.

No meu blog Interagindo com as Artes vocês podem encontrar uma postagem sobre ''A origem do cinema'' que complementa este assunto.


Fonte:

http://mikosz.wordpress.com/page/3/



(Idália Lins)

Comentários

Anônimo disse…
muito legal!!!

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…