Pular para o conteúdo principal

Tempo e morte: recorrências on line

A marca da idade – O filme-documentário 33 é um dos mais interessantes trabalhos de Kiko Goifman onde mostra uma busca em primeira pessoa de sua mãe biológica num documentário com clima de filme noir. Nos seus 33 anos, o artista ocupa 33 dias nessa produção. Enquanto se passam os dias pré-determinados, o artista contava com o contato de internautas que acompanhavam seu diário on-line, além das opiniões, várias vezes curiosas, de detetives particulares. Acima, algumas imagens do filme.
Um dos documentários de Kiko Goifman, um dos artistas de Cronofagia é “33”, 2002. Extremamente heterodoxo e biográfico versa sobre a possibilidade do artista por meio de entrevistas com detetives particulares encontrar sua mãe biológica. Além de outras questões, como a precariedade dos profissionais e o voyeurismo, o trabalho centra-se na questão temporal em diversos aspectos: a princípio, “33” é a idade do artista no desenvolvimento deste trabalho que além de ser uma idade memorável para os cristãos, é também em 1933 que sua mãe adotiva nasceu. Segundo: o tempo é pragmático na produção do trabalho, já que iniciados 33 dias de busca , terminam as filmagens do documentário. O tempo como imperativo seja enquanto passado, seja enquanto passagem.

Um outro trabalho dos artistas, Morte Densa, é uma fatura intermídia que agrupa um documentário em longa-metragem, um livro, uma vídeo-instalação e web arte. Estabelecem-se conexões que partem de um mesmo princípio: os assassinos-de-uma-morte-só, pessoas que não tinham a intenção dolosa de matar. A maior parte desse tipo de assassinato acontece com pessoas próximas, num momento de cólera que leva à morte. Surgem paradoxos nas entrevistas, como a culpa e a legitimação do ato. As relações de tempo no filme – que certamente migram para alguns dos outros meios – segundo GOIFMAN (2002:90):
"O primeiro ponto deste projeto que se associa a um questionamento proposto pela noção de tempo se relaciona às imagens que serão utilizadas. Não estaremos, em nenhum momento, efetuando reconstituições dos crimes. Ao contrário, a situação é de uma metáfora imagética proporcionada por um dado objetivo e temporal: domingo é o dia de maior ocorrência de homicídios cometidos por 'pessoas comuns'".
É certo que as relações poéticas dos documentários com o trabalho de web arte em questão são evidentes. Mas ainda no que se diz respeito ao tempo, há uma propriedade interessante em Cronofagia a ser discutida. É possível estabelecer uma distinção entre a assimilação do tempo proposto e uma construção colaborativa do tempo.
A televisão e o cinema nas suas formas mais comerciais e tradicionais tornam possível somente a assimilação de tempo previamente programado. O espectador é um sujeito-paciente à mercê de um tempo imposto e subjetivamente aceito, seja no momento em que se adentra uma sala de projeção, seja ao permanecer no canal de TV. Não se trata da passividade ou falta de interatividade: ao iniciar um filme ou um programa de TV, o tempo de existência do filme ou programa enquanto evento é determinado pelo exibidor ou criador. Já em Cronofagia, o visitante é o agente – coletivo – do tempo. É ele que determina a existência da imagem exibida, sua duração e seu fim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…