Pular para o conteúdo principal

300 - Um filme que pode se transformar num interessante projeto nas aulas de Artes Visuais


Estátua de mármore do século V a.C. patente no Museu Arqueológico de Esparta. Representa um hoplita grego com o seu típico elmo, sendo que muitos historiadores querem mesmo ver neste mármore o busto do próprio Leónidas
Fonte:pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_das_Term%C3%B3pilas


Leónidas nas Termópilas, por Jacques-Louis David.
Óleo sobre tela, 395 × 531 cm, 1814.
Fonte: pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_das_Term%C3%B3pilas


Fonte: http://adorocinema.cidadeinternet.com.br/filmes/300/300.asp#Críticas

Acabei de assisitir ao filme "300" em casa, num DVD, na minha TV de plasma, o que ameniza minha sensação de perda por não tê-lo assistindo na "telona" do cinema. A versão cinematográfica do filme, apropriando-se criativamente de narrativas do passado, fêz-me lembrar as reflexões de Hayden White sobre a narrativa histórica. Hayden considera a narrativa histórica uma modalidade de ficção, fruto da inventividade do historiador, baseando-se em documentos sobre o assunto.
O filme ganhou o MTV Movie Awards de Melhor Luta (Gerard Butler contra o gigante), além de ser indicado nas categorias de Melhor Filme, Melhor Performance (Gerard Butler), Melhor Revelação (Lena Headey) e Melhor Vilão (Rodrigo Santoro).
O filme trata da resistência do rei Leônidas e seus 300 guerreiros espartanos, lutando até a morte contra o exército persa. O enredo é interessante porque mostra que é possível ganhar, mesmo quando se perde.
Há uma narrativa similar no texto bíblico, quando trata da vitória de Gideão, guerreiro de Israel, sobre os midianista com 300 homens (Juízes 6 a 8). Há muita coincidência nas duas narrativas, especialmente na dificuldade enfrentada e no número de guerreiros.
O figurino e os efeitos visuais do filme faz-nos reportar às imagens sobre os guerreiros espartanos da época, representados por artistas de diversas épocas.
O filme impressiona pela visualidade e pelo interessante diálogo que faz com a HQ, idealizada por Frank Miller.
O filme, respeitando a faixa etária recomendada, oferece um bom mote para as Aulas de Artes Visuais. O alunado poderá conhecer, por exemplo, as diferentes imagens sobre os guerreiros espartanos, comparando as diversas representações em várias épocas. Interessante comparar, também, a representação do filme do rei Xerxes (interpretado por Rodrigo Santoro) com outras representações registradas pela história da arte. Nesse aspecto, há diferenças gritantes. Pode-se, ainda, comparar as diferentes formas de representar batalhas, começando por destacar as difenças entre as travadas entre os EUA e o Iraque com a guerra na época Espartana. A partir daí é possível comparar com outras representações. Pode-se, também, fazer uma análise da representações de mulheres, companheiras das lideranças principais em batalhas.
Gosto das tentativas de inter-relacionar linguagens diferentes, como faz o filme ao dialogar com as HQs, a arte e os documentos históricos. É um bom filme e um bom pretexto para um projeto de Artes Visuais focado a partir do cotidiano do alunado!!!

Comentários

josilene disse…
Olá Erinaldo
Gostei da Ideia bem interessante
um abraço
Josi

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…