Pular para o conteúdo principal

"Entre percursos e circuitos - Manobras da arte" - Itaú Cultural

Entre os dias 6 e 9 de outubro, das 14 às 18h, o workshop "Entre percursos e circuitos - Manobras da arte", promovido pelo Itaú Cultural em parceria com a Usina Cultural Energisa, chega a João Pessoa. O evento faz parte da quarta edição do programa Rumos Artes Visuais e propõe uma série de ações com quatro dias de duração, que está percorrendo 18 municípios de norte a sul do Brasil. Voltada para a promoção, análise, discussão e fomento à produção artística contemporânea, o objetivo é contribuir para a articulação, consolidação e aprofundamento de um cenário artístico-cultural favorável ao desenvolvimento das artes. A mineira Janaína Mello, assistente curatorial do Rumos Itaú Cultural Artes Visuais, coordena o encontro.

Sempre no horário das 14h às 18h e com um máximo de 25 participantes, o workshop é dirigido a profissionais das artes visuais - pesquisadores, professores, estudantes, artistas e galeristas, entre outros -, e coloca em debate os caminhos da arte contemporânea.

Biografia da palestrante
Janaína Mello é historiadora com atuação na área de crítica de arte, curadora, pesquisadora, professora e coordenadora de arte e educação do Inhotim Centro de Arte Contemporânea, em Brumadinho, Minas Gerais. Coordenou, durante dois anos, o Departamento de Artes Visuais do Museu de Arte da Pampulha. Como colaboradora da Editora C/Arte, organizou vários livros da coleção Circuito Atelier. Tem artigos publicados em livros, revistas e catálogos.

O programa
O Rumos Artes Visuais deste ano reuniu a experiência acumulada nas edições anteriores, contando com uma comissão curatorial maior, sob a coordenação do curador paraibano, radicado no Rio de Janeiro, Paulo Sergio Duarte. Quatro outros curadores foram responsáveis por regiões diferentes daquelas onde estão acostumados a atuar e contaram com o apoio de oito assistentes curatoriais das diferentes regiões, que ajudaram na pesquisa e na pré-seleção dos projetos e que agora saem em itinerância pelo país com o workshop “Entre percursos e circuitos - Manobras da arte”.

Entre março e maio de 2008, ainda, a equipe curatorial fez palestras e debates, com mediação do crítico e pesquisador Guy Amado em 19 cidades. O grupo discutiu com o público temas relacionados à arte contemporânea, como indústria cultural, consumo, globalização, mercado e produção, formação do artista, espaços de exibição, história da arte, e, sobretudo, realizou a difusão do programa Rumos para os artistas locais.
Participação gratuita. Inscrições abertas a partir do dia 22 de setembro. Vagas limitadas.Usina Cultural EnergisaAv Juarez Távora 243 - Torre - João Pessoa-PBInscrições pelo fone 83 3221.6343 ou pelo email: usina@energisa.com.br
dyogenes chaves endereço: av argemiro figueiredo 4385/ 103 joao pessoa-pb brasil 58037-030 celular: (83) 8874.7877 fixo: (83) 3042.7979
Por Beto Câmara

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…