Pular para o conteúdo principal

Ricardo lança 'João Pessoas - A Memória da Cidade', nesta quarta

16/12/2008

Da Redação
Com informações da Secom-JP


O testemunho de filhos e filhas – adotivos ou naturais – da terceira cidade mais antiga do País permeia as linhas e entrelinhas da coleção 'João Pessoas – A Memória da Cidade'. Os três primeiros volumes do projeto, somando 240 páginas, são acompanhados por um DVD e serão lançados pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB) nesta quarta-feira (17), às 20h30, na casa de recepções 'Sonho Doce'.

"As topografias das cidades, com seus ambientes e edificações são como o corpo de uma pessoa. Para adquirir alma, a cidade vai buscar na essência de sua gente o sopro necessário para moldar o espírito", escreveu Ricardo Coutinho no encarte que envolve os três primeiros livros da coleção.

"Outras personalidades anônimas ou notórias, tijolos dessa construção histórica, virão na seqüência, estabelecendo-se as premissas básicas para posterior instalação da Biblioteca Municipal e do Museu da Imagem e do Som", visionou o chefe do Executivo sobre o projeto.

Anfitriões
Se esse é apenas o primeiro passo de um projeto com dimensões a perder de vista, já se pode dizer de passagem que os três volumes iniciais conseguiram dar o recado. Eles deixaram a impressão de um bate-papo informal entre amigos, sobre um assunto muito íntimo: João Pessoa. Partindo dessa comparação, poderia dizer que os anfitriões seriam o jornalista, cronista e pesquisador Gonzaga Rodrigues; o jornalista, romancista, poeta e crítico literário Acendino Leite; e a assistente social e professora aposentada da UFPB, Elisa Mineiros, conhecida como 'a guerreira' ainda desde a juventude, por ser uma das militantes mais atuantes da esquerda em todo o País.

Conversas
Martinho Moreira Franco, Paulo Soares, Milton Nóbrega, Ângela Bezerra de Castro, Douraci Vieira, Cíntia Galiza, Derly Pereira, Eliezer Gomes, Wilson Aragão, Marília Carneiro Arnaud, Joacil de Brito Pereira, Juarez Farias e Hildeberto Barbosa Filho integram as 'conversas' nas páginas, durante as entrevistas conduzidas pelo jornalista Ulisses Barbosa.

Aspectos sociais, econômicos, políticos, científicos e culturais de uma João Pessoa de múltiplas etnias oferecem o teor do 'papo' entre amigos. Os volumes possuem ainda textos dos jornalistas Luiz Augusto Crispim (falecido) e Walter Galvão, além de inclusão de cartas enviadas pelo atual presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Elisa Mineiros.

Fazem parte também dos três primeiros volumes de 'João Pessoas – A Memória da Cidade', o acervo fotográfico de Gonzaga Rodrigues, Antônio David, Acendino Leite e Elisa Mineiros. A realização do projeto foi da Secretaria de Comunicação Social (Secom) e da TV Cidade de João Pessoa. O projeto gráfico é da agência de publicidade 9Idéia.


Disponível em : http://www.paraiba1.com.br/noticia_aberta?id=16447


Karlene Braga

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…