Pular para o conteúdo principal

Paraíba é o terceiro com menos bibliotecas

Quarta, 12 de Novembro de 2008

A Paraíba é o terceiro Estado do País com o maior número de municípios sem bibliotecas públicas. Em 48 cidades paraibanas não existe um único equipamento dessa natureza, conforme levantamento feito pelo consultor e diretor do Observatório do Livro e da Leitura e um dos coordenadores da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, Galeno Amorim, com base nas informações do Sistema Nacional de Bibliotecas. Na Paraíba, são 118 equipamentos municipais e dois estaduais cadastrados no Sistema Nacional de Bibliotecas. O estudo foi publicado em maio deste ano e traçou um diagnóstico do País.
A pesquisa foi divulgada na página do consultor na internet (www.blogdogaleno.blog.uol.com.br) e mostrou que 362 municípios brasileiros não possuem nenhuma biblioteca pública. A situação é mais crítica na região Nordeste, que concentra o maior número de municípios sem bibliotecas. O Estado em pior posição é o Piauí, onde 79 cidades não possuem esse serviço. Em seguida, aparecem a Bahia, com 67; a Paraíba, com 48; e o Rio Grande do Norte, com 28 cidades.
De acordo com o levantamento de Galeno Amorim, que também é consultor de políticas públicas da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) para a Educação, a Ciência e a Cultura, o Amazonas é o Estado na região Norte que lidera a lista da falta de bibliotecas, com 24 cidades sem este tipo de equipamento. No Centro-Oeste, a cidade de Goiás, tem 25 municípios sem elas. Já no Sul, o Rio Grande do Sul, Estado conhecido por sua tradição leitora, é o único Estado da região que ainda não tem bibliotecas em todas as suas cidades – elas inexistem em 13 localidades. No Sudeste, o município de São Paulo, onde, existem 15 municípios sem o equipamento.


Nordeste é a mais “carente”


Para Galeno, o resultado do levantamento sobre as bibliotecas públicas condiz com os índices de leitura apontados pela pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”. A pesquisa mostrou que o Nordeste é a região com menor percentual de leitura do País (50%) e como a que possui o segundo menor número de livros lidos por ano. Enquanto na região Sul, as pessoas lêem em média 5,5 livros por ano, no Nordeste às pessoas costumam ler 4,2 exemplares.
Já na região Sudeste essa relação é de 4,9 e no Centro-Oeste de 4,5 livros por ano. O menor índice foi identificado na região Norte, com apenas 3,9 livros lidos a cada ano.
A pesquisa não traz dados por Estado, mas o último levantamento do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), por exemplo, mostrou que os estudantes da Paraíba obtiveram as médias mais baixas nas avaliações sobre proficiência em Língua Portuguesa. Entre os alunos da terceira série do Ensino Médio da rede pública, os paraibanos aparecem na penúltima colocação, ficando à frente apenas dos estudantes do Maranhão.


Espaço Cultural fechada há 3 anos


Para a professora do Departamento de Ciências da Informação da UFPB, Bernardina Freire, o número além de insuficiente não reflete a realidade, pois menos de 50% delas funcionam de fato. Ela cita as bibliotecas estaduais. São duas unidades, ambas localizadas em João Pessoa. Entretanto, apenas a que está situada na Avenida General Osório, no Centro da Capital, está aberta atualmente. A outra, que funciona no Espaço Cultural José Lins do Rego, e que possui, inclusive, um acervo maior, está fechada para reforma há três anos. A Capital não possui nenhuma biblioteca municipal.

Marly Lúcio

Disponível em : http://www.portalcorreio.com.br/jornalcorreio/matLer.asp?newsId=57548

Karlene Braga

Comentários

Anônimo disse…
É uma VERGONHA saber que uma capital nacional_João Pessoa não possui nenhuma biblioteca municipal, vamos acordar né "representantes do povo".

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…