Pular para o conteúdo principal

Artista dos EUA usa Bob Esponja em instalação sobre “tortura”


O personagem de desenho animado Bob Esponja está sendo usado como parte de uma instalação artística de protesto contra o uso da técnica de simulação de afogamento, apontada por grupos de defesa dos direitos humanos como uma forma de tortura.

Artista norte-americano utilizou personagem Bob Esponja em instalação sobre “tortura”
A instalação Water-boarding Thrill Ride (ou “Passeio Emocionante da Técnica de Simulação de Afogamento”, em tradução livre), do artista Steve Powers, foi colocada em um parque de diversões de Coney Island, em Nova York.
Uma placa do lado de fora mostra Bob Esponja dizendo “It Don’t Gitmo Better!” –um trocadilho em inglês fazendo referência à frase “It don’t get much better” (”não fica melhor”, em tradução livre) e o centro de detenção americano da Baía de Guantánamo, em Cuba (apelidado de “Gitmo” nos Estados Unidos)– enquanto outro personagem do desenho despeja água sobre ele.
Por US$ 1, o visitante pode olhar por uma janela com grades para uma encenação, com robôs, de um interrogatório que simula as técnicas que seriam usadas em Guantánamo.
Nele, um robô de capuz, com a forma de uma pessoa, se inclina sobre um outro, vestido com um macacão laranja, com o rosto coberto com uma toalha e o corpo amarrado a uma superfície plana e inclinada.
As luzes se acendem e a água é despejada sobre o nariz e a boca da figura vestindo o macacão, o que gera nela convulsões de 15 segundos.
O governo dos Estados Unidos admitiu usar esta técnica de interrogatório em suspeitos de terrorismo e não a considera uma técnica de tortura.
Provocação

O artista Steve Powers afirmou que o objetivo é provocar e levar as pessoas a pensarem a respeito da técnica de interrogatório.
“A técnica de simulação de afogamento com robôs se transformou em uma forma de explorar a questão sem machucar ninguém”, disse Powers ao jornal “The New York Times”.
“(O objetivo) É apresentar uma experiência única. E não é preciso um grande salto da imaginação para olhar lá e dizer: ‘É isto mesmo que está acontecendo? É loucura’”, acrescentou.
Carolyn Rice, uma visitante do parque de Coney Island, achou a instalação curiosa.
“Acho que é educacional, pois todos ouvem a respeito da técnica de simulação de afogamento, mas ninguém sabe o que é”, disse ela ao “The New York Times”.
Dave Winters, um veterano da marinha americana, afirmou que a instalação reafirmou sua crença nesta técnica de interrogatório.
“Acho que é uma boa idéia. Tenho mais certeza a respeito disto depois que vi (a instalação)”, afirmou o veterano ao jornal.
(Fonte: da BBC Brasil)
(Erinaldo Alves)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…