Pular para o conteúdo principal

'Guerra de vídeos' entre alunos e UFPB repercute na mídia nacional

Da Redação
Com G1


Desde que alunos do curso de Mídias Digitais, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), decidiram lançar um vídeo no Youtube para protestar contra as obras atrasadas no prédio do seu Departamento, a situação vem ganhando espaço na mídia.

Primeiro, os alunos fizeram uma paródia do clipe "A oração", de A Banda Mais Bonita da Cidade, e veicularam o vídeo "A Banda Mais Bonita da Universidade", mostrando as obras atrasadas.

Na última sexta-feira (11), um vídeo intitulado "A Despensa Mais Bonita da Universidade" foi veiculado na conta UFPBoficial, com cenas que mostravam boa estrutura do prédio onde os alunos assistem às aulas e um laboratório com equipamentos de última geração.

Nesta segunda, o G1 publicou matéria que mostra um terceiro vídeo, desta vez uma resposta dos alunos ao vídeo veiculado pela Universidade. Confira a matéria na íntegra.



As obras no departamento do curso de Mídias Digitais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) virou alvo de uma batalha de vídeos postados na internet entre estudantes e a instituição de ensino superior. Os alunos fizeram um videoclipe paródia da música “Oração”, da Banda mais bonita da cidade, e publicaram o vídeo no YouTube para protestar contra o atraso nas obras do prédio do departamento.

A universidade rebateu na mesma moeda, com um vídeo mostrando as benfeitorias que estão em curso. Os alunos postaram nesta segunda-feira (13) novo vídeo para mostrar que o filme institucional seria uma versão "maquiada" da realidade. A reitoria nega.

“A universidade tem várias obras que estão muito atrasadas, até mais do que a do nosso curso. Então, queríamos fazer um protesto pacífico aproveitando essa vocação criativa do curso de Mídias Digitais”, explica Rennam Virginio dos Santos, de 19 anos, que aparece tocando violão no vídeo e que é um dos autores da letra da música inspirada em “Oração”.

O vídeo mostra material de obra empilhado e destaca, na música, que "tem aluno estudando na despensa" (veja vídeo no YouTube). “A gente queria divulgar, mas não imaginava que teria essa repercussão toda”, admite. Em três dias, foram mais de 150 mil visualizações.

Na quarta-feira (8), um dia após a divulgação do vídeo, a UFPB emitiu uma nota oficial informando que a licitação para a construção do bloco de Mídias Digitais ocorreu em novembro de 2009, com prazo de execução para 18 de junho de 2010. Porém, “como a empresa não cumpriu o cronograma físico-financeiro”, a instituição rescindiu o contrato e abriu novo processo. A segunda empresa contratada também não cumpriu o cronograma e houve mais uma rescisão. Atualmente, novo processo licitatório está em tramitação.

A construção do prédio de Mídias Sociais da UFPB teve orçamento aprovado de R$ 703 mil. O prazo previsto para a obra seria de 150 dias.

Mas, além de divulgar a nota, a instituição resolveu responder ao protesto dos alunos usando a mesma ferramenta, ou seja, publicando um vídeo institucional no YouTube (veja vídeo da UFPB). Na versão da UFPB, é possível ver uma sala de aula nova repleta de computadores de última geração, num ambiente limpo e muito bem cuidado.

A versão da universidade

Eduardo Teixeira de Carvalho, assessor de Comunicação da UFPB, diz que esta foi a primeira vez que a universidade publicou um vídeo no YouTube. “A gente viu que não adiantava dar resposta em meios tradicionais, porque não foi este o público que eles atingiram”, explica.

Para ele, a versão apresentada pelos alunos no primeiro vídeo “ficou muito injusta do ponto de vista da faculdade”. “O protesto, embora tenha sido muito criativo, deu uma ideia de que era terra arrasada. O provisório não significa precário”.

Para Carvalho, a ausência de um prédio próprio não inviabiliza o curso. “Estamos com um laboratório funcionando. Não temos a parte física, mas temos salas em todos os lugares da universidade, temos centro de inclusão digital”, diz. “Vivemos uma fase fantástica. (...) A universidade dobrou de tamanho em cinco anos”.

“Não reclamamos da falta de equipamentos, reclamamos da falta de estrutura”, rebate Rennam. “Em vez de reconhecer o erro, a universidade passou a tentar mudar o foco da discussão. Estamos em um prédio que não é nosso, dividimos esse prédio com os funcionários da universidade e com o curso de Medicina. Temos um laboratório com 30 iMacs e outros 30 encaixotados, com garantia correndo, porque não há espaço. São 60 alunos, mas a sala de aula acomoda bem só 40 alunos”.

O estudante diz que, embora não esteja errada a alegação de que o laboratório é moderno, seu uso é precário. “Que laboratório moderno é este? Não tem internet, não tem software profissional e tem computador empilhado”.

'Making of'

Nesta segunda-feira (13), os alunos postaram um novo vídeo com o que seria o "making of" da versão institucional divulgada pela UFPB na sexta-feira (10). Os alunos alegam que o filme oficial “maquiou” a realidade (veja o vídeo no YouTube).

O assessor de Comunicação da UFPB negou que tenha havido qualquer tipo de maquiagem. “Não houve maquiagem. A sala que eles assistem aula é aquela, o laboratório é aquele. Que há equipamento guardado, isso há”, diz Carvalho.

“Só queremos o que o curso requer para nossa formação, sem improviso. E estamos indignados com essa tentativa de distorção da universidade. Ela tem muito mais poder do que a gente. A gente só entende de ser criativo”, conclui Rennam.

fonte:


(Erinaldo Alves)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…