Pular para o conteúdo principal

Variações do feminino: bastidores do universo Trans

Clique na imagem acima para melhor visualização

Entre poses e perfumes, batons e saltos altos, brilhos e sedução, rapazes, homossexuais, travestis, transsexuais, transformistas, revelam-se nas ruas da Região Metropolitana de João Pessoa e nas passarelas de concursos de beleza. Mas eles e elas estão presentes em diferentes espaços públicos e privados, associações, sindicatos, hospitais, escolas, repartições públicas, empresas. São pessoas comuns, trabalhadoras, estudantes, cidadãs. Contudo, sofrem preconceitos e diversas formas de violência cotidianamente. São vítimas da homofobia e da intolerância.

Para além do preconceito e do estigma, as fotografias reunidas na exposição “Variações do Feminino: bastidores do universo trans” revelam uma humanidade que celebra o belo, a delicadeza do olhar, os gestos finos, os detalhes subliminares de trajetórias de vida e desejos que precisam ser valorizados, encantados, reconhecidos. Apresentam diferentes formas de experimentar o feminino e uma criatividade que denuncia, como diria Simone de Beauvoir, que “não se nasce mulher, torna-se mulher”.

Esta exposição faz parte de um projeto de extensão e pesquisa promovido pelo GETU - Grupo Etnografias Urbanas, da Universidade Federal da Paraíba, do campus Litoral Norte e conta com o financiamento da mesma instituição e do CNPq (Comissão Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Trabalha em parceira com a ASTRAPA (Associação das Travestis e Transexuais da Paraíba) e conta com o apoio da Agencia Ensaio (Projeto Lambe Lambe).

Coordenação e curadoria: Paulo José Rossi (fotógrafo) e Silvana de Souza Nascimento (professora de antropologia da UFPB)
Fotografias: Paulo Rossi, Silvana Nascimento e Verônica Guerra
Assistentes: Cairê Normanton, Luzicleide de Lima Bernardo, Lívia Freire da Silva, Verônica Guerra e Walyson de Araújo Lima

ABERTURA DA EXPOSIÇÃO: 15 DE SETEMBRO DE 2010 – 19hs
Galeria da Ladeira – Ateliê Multicultural Elionai Gomes
R. Ladeira da Borborema, 101 Centro – João Pessoa/Paraíba

Maiores informações: (83) 91334508 ou paraybatrans@hotmail.com

Fonte: http://presenciandoarte.blogspot.com/2010/09/exposicao-fotografica-variacoes-do.html



Por Idália Lins

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…