Pular para o conteúdo principal

O QUE DIZEM OS DESENHOS DAS CRIANÇAS: BRINCADEIRA OU GRITO DE ALERTA?

“Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo, e com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo”. Toquinho resumiu bem, em forma de letra de música, as infinitas possibilidades por trás do desenho infantil. Mas mais do que um lazer ou exercício da alimentação, a atividade pode servir como ferramenta, no caso das crianças, para comunicar e expressar o que sente ou pensa.

“As crianças desenham de acordo com as possibilidades emocionais e motoras. Começam desenhando garatujas, também conhecidas como rabiscos, depois vão mudando”, explica a escritora e educadora infantil Joana D’arc, de Campinas. E diz que é muito comum um adulto ver um desenho de uma criança e tentar decifrar, tirando conclusões precipitadas, quando a situação poderia ter sido vista sob ótica simplista. “Não é porque a criança fez um desenho com pessoas sem cabeça ou com expressões tristes que ela está com problemas. Aquilo pode ser simplesmente algo que ela viu na televisão”, esclarece.

A educadora exemplifica dizendo que a maioria das meninas gosta de pintar as coisas de rosa. “Isso acontece porque elas são influenciadas pela mídia. A televisão lhes mostra um mundo dessa cor”, afirma. Joana diz que mesmo sendo muito comum os alunos poderem fazer seus desenhos com tema livre, na maioria das vezes o tema acaba sendo sugerido. “Se a criança vê um colega desenhando uma árvore, pode pegar aquele tema como sugestão”, esclarece.

Segundo ela, não há problema algum em desenhar coisas inadequadas ou fazer um desenho lindo e depois rabiscar inteiro. “Não se deve procurar problemas e sim tentar achar soluções”. Joana fala que caso a criança faça um desenho que deixe o educador em dúvida, o mais indicado é “rebobinar a fita” e tentar lembrar como ela chegou à escola, se estava animada ou introspectiva e perguntar a ela o que quer dizer com aquele desenho. Pode acontecer de a criança não se sentir à vontade, sendo assim, é preciso recorrer à ajuda profissional.

Joana acha que educadores não têm propriedade suficiente para decifrar os desenhos das crianças, e ressalta que esse tipo de trabalho deve ser feito apenas por profissionais capacitados. “A criança deve ser tratada como um ser único, não há sentido em dar um desenho para uma sala de aula e tentar descobrir um problema em cada desenho”, diz.

Escritora de livros infantis, Joana lançou recentemente o “Educar com Arte” (Editora Trilha Educacional). Nele, mostra como o professor deve proceder ao passar uma atividade que precise desenhar. “O primeiro passo é dar uma folha e pedir ao aluno que desenhe com o campo aberto. Em seguida, dobrar a folha e ver se consegue repetir o que desenhou no corpo inteiro, em um espaço delimitado”. A educadora explica que a criança não deve ser censurada na forma que desenha e sim estimulada, para que desenvolva a criatividade. “Caso censurada, pode adquirir um bloqueio na hora de desenhar”.

No entanto, ela diz que a forma como a criança desenha em determinada situação pode evidenciar o estado de espírito que apresenta naquele momento. “Pode acontecer de o aluno ter uma desavença em casa e chegar à escola com a cara amarrada e não querer fazer o desenho ou pintar mal”, pondera. Diante desse tipo de situação, é preciso que o educador tenha delicadeza para tentar descobrir o que aconteceu, sem violar a individualidade e o espaço da criança.

Mais do que tentar desvendar o desenho das crianças, pais e educadores devem proporcionar um ambiente familiar e escolar agradável. “Vamos todos juntos numa linda passarela, serena e bela”, escreveu Toquinho. Se a vida tiver cores intensas e traços harmoniosos, não será difícil reproduzir isso no papel.

Cínthya Dávila (MBPress)


Texto:http://vilamulher.terra.com.br/o-que-dizem-os-desenhos-das-criancas-8-1-55-253.html

Imagens: http://nadaparafazer-ceci.blogspot.com/2010_09_01_archive.html


Clícia Coelho



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RCNEI - Resumo Artes Visuais

Introdução:

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por vários meios, dentre eles; linhas formas, pontos, etc.
As Artes Visuais estão presentes no dia-a-dia da criança, de formas bem simples como: rabiscar e desenhar no chão, na areia, em muros, sendo feitos com os materiais mais diversos, que podem ser encontrados por acaso.
Artes Visuais são linguagens, por isso é uma forma muito importante de expressão e comunicação humanas, isto justifica sua presença na educação infantil.

Presença das Artes Visuais na Educação Infantil:
Idéias e práticas correntes.

A presença das Artes Visuais na Educação Infantil, com o tempo, mostra o desencontro entre teoria e a prática. Em muitas propostas as Artes Visuais são vistas como passatempos sem significado, ou como uma prática meramente decorativa, que pode vir a ser utilizada como reforço de aprendizagem em vários conteúdos.
Porém pesquisas desenvolvidas em diferentes campos das ciências …

Arte como Educação e Cidadania - Por Ana Mae Barbosa

"Não é possível conhecer um país sem conhecer e compreender sua arte - essa é a opinião da professora Ana Mae Barbosa, da Escola e Comunicações e Artes da USP. "Um país só pode ser considerado culturalmente desenvolvido se ele tem uma alta produção e também uma alta compreensão dessa produção", declara. "A linguagem visual nos domina no mundo lá fora e não há nenhuma preocupação dentro da escola em preparar o aluno para ler essas imagens. O público quer conhecer; falta educação para a arte".
Na opinião de Ana, os professores do ensino fundamental e médio costumam priorizar a linguagem científica e discursiva, mas é preciso que o aluno tenha também uma alfabetização visual para compreender a linguagem que o rodeia em outdoors, na televisão, no computador. "É importante entender arte, que é a representação do país por seus próprios membros", ela ressalta. "E a configuração visual do país é dada pelas artes plásticas".
Ana afirma que até a décad…

Como fazer uma animação com bonecos!

Não é tão difícil fazer uma animação com bonecos e dá para ensinar aos seus alunos a partir de um passo a passo super simples e fácil que eu encontrei aqui pela internet onde explica para crianças como fazer uma animação com bonecos e curiosidades sobre como são feitos os filmes de animação com massa de modelar:

Conheça o passo a passo da animação com bonecos:

A primeira coisa a fazer é pensar na história e desenvolver um roteiro. Pode ser algo do tipo: "Um homem vai à padaria comprar pão, mas esquece o pão lá".

É feito o storyboard: quadrinhos com desenhos de cada cena, mostrando como será a ação do boneco e o enquadramento da câmera.

O modelista começa a construir os bonecos e cenários.

Com cenários e bonecos prontos, é hora de pensar na iluminação, como em uma filmagem convencional.

Começa a animação. São feitas 24 fotos para cada segundo de filme, que ao serem projetadas na seqüência, criam a sensação de movimento. Dependendo da ação, é possível reduzir esse número para 12 fot…